quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Resenha - A quadrilogia Hush, Hush

A quadrilogia Hush, Hush
Autor: Becca Fitzpatrick
Editora: Intrínseca



A quadrilogia, formada pelos livros Sussurro, Crescendo, Silêncio e Finale, da autora Becca Fitzpatrick é um romance adolescente, um romance com cunho sobrenatural: humanos, arcanjos, anjos caídos e nefilins se encontram nas páginas desses livros e nos presenteiam com uma história deliciosa, com muito mistério, nos deixando logo envolvidos, curiosos e em estado de suspense. Os quatro livros possuem duas características em comum: começam com um prólogo cujos acontecimentos se deram antes do momento em que a história do restante do livro é contada, em um dos livros "bem" antes; e todos são contados pela protagonista Nora Grey a partir do primeiro capítulo.
A autora nos surpreende o tempo todo. Conforme vamos lendo, descobrimos que os personagens não são exatamente quem pensamos que são. Isso nos deixa desconfiados de tudo e de todos, pura adrenalina.


Livro 1 - Sussurro

Sinopse da livraria: Entrar em um relacionamento não estava nos planos de Nora Grey. Pelo menos até a chegada de Patch. Seduzida por seu sorriso despretensioso e pelo olhar que parece enxergar através dela. Nora se sente incapaz de pensar com clareza.
É quando uma sucessão de acontecimentos assustadores começa a cercá-la. Enquanto isso, Patch parece surgir em todos os lugares e mostra que sabe absolutamente tudo sobre sua vida. É impossível decidir entre atirar-se nos braços dele ou fugir do perigo que o ronda. Na busca de respostas, Nora se aproxima de uma verdade ainda mais avassaladora que seus sentimentos por Patch. De repente, ela está no centro da eterna batalha travada entre anjos caídos e seres imortais - e quando chegar a hora de escolher um dos lados, a decisão errada poderá custar sua própria vida. 

O prólogo do primeiro livro da série começa na França em 1565. Apenas uma página e meia, e nos transportamos para o primeiro capítulo diretamente para os dias atuais. Aparentemente o prólogo não tem nada a ver com a história que começa, mas no decorrer da história descobrimos que tem tudo a ver. 
Capítulo 1, uma sala de aula, onde começamos a conhecer alguns personagens Nora, a amiga Vee, Marcie, sua eterna inimiga e o "aluno novo". 

"O aluno novo. (...) Seus olhos negros me atravessaram e os cantos de sua boca se ergueram. Meu coração parou por um segundo e, naquela pausa, um sentimento sinistro e desesperador pareceu me envolver como uma sombra. Passou depois de um segundo, mas eu continuava a encará-lo. O sorriso dele não era amistoso. Era um sorriso que queria dizer problema. Problema garantido. 

Um mistério cerca Nora, um mistério que põe sua vida em perigo, um mistério que envolve o aluno novo, Patch. O próprio Patch é puro mistério; mostra que sabe tudo sobre Nora, que conhece seus sentimentos....mas quanto a ele... 

"- Se eu respondesse essa pergunta, desvendaria meu passado. E prefiro mantê-lo em  envolto em sombras. (...) Meu passado pode assustá-la."

A partir da chegada de Patch, a vida de Nora muda completamente. Novos personagens surgem e acontecimentos estranhos e perigosos passam a rodeá-la. Logo descobrimos que nessas primeiras páginas o fogo já fora lançado na pólvora e a partir daí muitas emoções vão nos sacudir e largar o livro vai ser impossível.



Livro 2 - Crescendo

Sinopse da livraria: A vida de Nora Grey ainda está longe de ser perfeita. Sofrer uma tentativa de assassinato não foi a melhor das experiências, mas, pelo menos, Nora ganhou um anjo da guarda: Patch, que de angelical não tem absolutamente nada. Ele é lindo, irresistível, misterioso...e está com ela. O problema é que ele tem sido cada vez mais evasivo, e, o pior: parece muito interessado na grande inimiga de Nora, Marcie Millar.
Não fosse isso, Nora jamais teria notado Scott Parnell, velho amigo da família que acaba de voltar para a cidade. Ainda que Scott a deixe furiosa na maior parte do tempo, é impossível não se sentir atraída. Lá no fundo, porém, ela tem certeza de que ele guarda um segredo.
Atormentada por repetidas visões do pai, inexplicavelmente assassinado anos antes, Nora começa se perguntar se haveria alguma conexão entre a morte dele e o fato de pertencerem a uma linhagem de nefilins. Ela quer descobrir o que realmente aconteceu, mas isso é  muito arriscado. Algumas verdades ficam melhor mortas e enterradas - do contrário, podem destruir tudo em que você acredita.


Mais uma vez o prólogo volta a um momento anterior ao do resto do livro. Dessa vez não tão anterior, apenas quatorze meses atrás....o último dia de vida do pai de Nora, Harrison Grey.

"O telefone soou, estridente. (...) A voz atravessou Harrison como um fantasma do passando, deixando-o completamente gelado. (...) e escutá-la agora só poderia significar que algo tinha dado errado. Terrivelmente errado."

 " - Assim que completar 16 anos, ele vai procurá-la. Você precisa levá-la para longe. Para algum lugar onde ele não seja capaz de encontrá-la."

O estopim para o segundo livro estava lançado. Quem seria ela? Nora? Quem iria procurá-la? E por que não poderia encontrá-la? 
Sem imaginar o perigo que se aproxima, Nora pensa que nada de pior poderia acontecer em sua vida, mas descobre segredos que envolvem sua descendência, segredos que nem em seus piores pesadelos poderia imaginar. Além disso o romance recém começado com Patch é terrivelmente abalado.

"Se eu der aos arcanjos motivos para imaginarem que estou remotamente apaixonado por você, eles vão me mandar pra o inferno. Para sempre."

Para completar, Patch se aproxima de Marcie, deixando Nora terrivelmente enciumada. O ciúme aflora o lado teimoso de Nora deixando-a imprudente. Nora se aproxima de Scott, um antigo colega de escola que surge repentinamente na cidade, e por mais que que Patch fale que não gosta dele, ela insiste na aproximação. 
O romance dos dois é abalado, Patch se afasta e coisas cada vez mais estranhas acontecem a Nora.

"Alguém estava me assombrando. Alguém estava confundindo a minha mente. Brincando comigo. Um anjo caído? Um nefilim? O fantasma do meu próprio pai?"

Além de Scott, um novo e misterioso personagem surge fazendo uma reviravolta em toda a história até o final do último livro: o Mão Negra.

Mais uma vez, largar o livro é impossível....como ficará o romance de Norma e Patch?....Quem é o misterioso Mão Negra?....Qual o envolvimento dele com o pai de Norma?...Como Norma escapará dos perigos que a cercam? O livro termina de forma eletrizante, nos deixando aflitos para começar o próximo volume. Agradeci por ter esperado sair todos os livros para começar a ler....não sei se aguentaria esperar até que o próximo fosse lançado.


Livro 3 - Silêncio

Sinopse da livraria: Nora Grey não consegue se lembras dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ele precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da mãe.
Em meio a tudo isso, Nora é assombrada por constantes pensamentos com a cor preta, que surge em sua mente nos momentos mais improváveis e parece conversar com ela. Alucinações, visões de anjos, criaturas sobrenaturais. Aparentemente, nada disso tem a ver com sua antiga vida.
A sensação é de que parte dela se perdeu. É então que o caminho de Nora cruza o de um sexy desconhecido, a quem ela se sente estranhamente ligada. Ele parece saber todas as respostas...e também o caminho até o coração de Nora. Cada minuto a seu lado confirma isso, até que Nora se dá conta de que pode estar apaixonada. De novo.


Mais uma vez o prólogo começa em um tempo anterior ao da história, dessa vez a apenas três meses. 
O primeiro capítulo começa com Nora caída no cemitério com uma terrível dor de cabeça. O que estava fazendo lá? Como tinha ido parar naquele lugar? Respostas que ela não sabia responder.

"O que eu estava fazendo ali? Tinha ido visitar meu pai? Revirei a memória, mas ela parecia inquietantemente vazia. Não conseguia me lembrar de ter ido ao cemitério. Não conseguia me lembrar de quase nada. Era como se a noite inteira tivesse sido arrancada de baixo dos meus pés."

Nora descobre que ficou meses desaparecida, e o pior, não lembra de nada do que aconteceu nesse tempo e de algumas pessoas que conviviam com ela, não se lembrava de Patch. A volta à rotina é dolorosa, angustiada pela amnésia e por descobrir que a mãe durante seu sumiço arrumou um namorado....um improvável namorado. Apesar da falta de lembranças, ela tem sensações, que não consegue compreender e que por isso a deixam mais nervosa.

"Sentia claramente, que existia em minha cabeça uma ponte quebrada, e que a verdade estava do outro lado desse abismo. Se eu havia derrubado a ponte como um recurso de defesa contra o trauma do sequestro, com certeza eu a reconstruiria. Só precisava descobrir como.
A começar pela cor preta. Profunda, escura, sublime. Eu ainda não havia contado a ninguém, mas aquela cor surgia em minha mente nos momentos mais improváveis. E, quando ela aparecia, eu sentia um arrepio agradável, como se eu pudesse senti-la deslizando um dedo carinhoso por meu rosto, levantando meu queixo para me fazer encará-la diretamente.
Eu sabia que era absurdo pensar que uma cor podia ganhar vida, mas, uma ou duas vezes, tive certeza de vislumbrar algo mais substancial por trás dela. Um par de olhos. O modo como me estudavam tocava meu coração."

Pequenos acontecimentos fazem parecer que Nora não está apenas com uma amnésia parcial, mas também desequilibrada. Aparentemente ela começa a ter alucinações, o que deixa a mãe cada vez mais preocupada.
No meio de muitas turbulências e novos perigos que a cercam, Nora conhece um rapaz, Jev. O misterioso rapaz parece conhecer Norma muito bem, além de aparecer em lugares improváveis para salvá-la quando ela mais precisa. De repente Nora se pega pensando intensamente em Jev. Será que um novo amor vai ocupar o coração dela?
Muitas confusões e perigos cercam mais uma vez Nora. A autora nos deixa aflitos para saber como será o desenrolar dessa história, e mais uma vez nos aponta para não confiarmos em nenhum de seus personagens, pois eles podem não ser o que parecem.



Livro 4 - Finale

Sinopse da livraria: Nora e Patch pensavam que seus problemas tinham ficado para trás. Hank estava morto, e seu desejo de vingança não precisava ser levado adiante. Na ausência do Mão Negra, porém, Nora foi forçada a se tornar líder do exército nefilim, e era seu dever terminar o que o pai começara - o que, essencialmente, significava destruir a raça dos anjos caídos. Destruir Patch.
Nora nunca deixaria isso acontecer, então ela e Patch bolam um plano: os dois farão com que todo mundo acredite que não estão mais juntos, manipulando, dessa forma, seus respectivos grupos. Nora pretende convencer os nefilins de que a luta contra os anjos caídos é um erro, e Patch tentará descobrir tudo, o que puder sobre o lado oposto. O objetivo deles é encerrar a guerra antes mesmo que ela venha eclodir. Mas até mesmo os melhores planos podem dar errado.
Quando as linhas do combate são finalmente traçadas, Nora e Patch precisam encarar suas diferenças ancestrais e decidir entre ignorá-las ou deixá-las destruir o amor pelo qual sempre lutaram.


O último livro da série é tão eletrizante quantos os anteriores. A guerra entre os nefilins e os anjos está no auge.  A história se passa no Cheshvan, período em que os anjos caídos possuem os corpos dos nefilins, que não querem mais se submeter a esta "possessão", um dos motivos da guerra. A cada página o suspense aumenta, conforme o primeiro dia do Cheshvan se aproxima, a iminência da guerra é ainda maior. Tentando de todas as formas impedir que essa guerra aconteça, Nora se mete em mais encrencas e mais perigos. Sem saber realmente em quem confiar ela acaba caindo em um caminho perigoso.
Para temperar a história, até sua melhor amiga declara que também tem segredos que não pode contar.....e mais uma vez ficamos com a pulga atrás da orelha: será que Vee não é quem pensamos?

Vee: "- Eu entendo. Você tem seus segredos e um dia desses vai me contar o que está acontecendo. E vou lhe contar os meus. - Ela arqueou as sobrancelhas intencionalmente. - É isso. Você não é a única a ter segredos. Vou falar quando chegar a hora, e acredito que você também."

Com mais este gancho a história nos prende as suas páginas. Nora, fica cada vez mais envolvida nos acontecimentos, cercada de perigos:

"Me tornei um alvo para os anjos caídos, os arcanjos e outros nefilins, e não há nada que eu possa fazer quanto a isso. A não ser aprender a me defender."

Porém, para contrabalançar tanto perigo, o romance entre Nora e Patch está no auge:

"Olhando o rosto dele, tão sério e ansioso, fui tomada pela culpa. Percebi naquele momento que Patch faria tudo por mim. A promessa de ficar ao meu lado tinha para ele o valor de um juramento. Ele era parte de mim, e eu era parte dele. Patch faria qualquer coisa - qualquer coisa -  que fosse necessária para me manter ali, ao seu lado.

Um romance? Um suspense? Aventuras? Na verdade um pouco de tudo. Uma mistura que deu muito certo e faz de Hush, Hush, uma série deliciosa e imperdível de ler. Terminada a última página nos sentimos órfãos de Patch e Nora. Com uma vontade de quero mais.





Sobre a autora:

Becca Fitzpatrick nasceu em 3 de fevereiro nos Estados Unidos. Cresceu lendo romances. Com formação em Saúde, logo abandonou tudo para escrever. Sussurro foi sua estreia literária.

Os livros da série Hush, Hush são as únicas obras da autora publicadas no Brasil.

domingo, 3 de novembro de 2013

Resenha - Jogo perigoso


Título: Jogo Perigoso
Autor: Stephen King
Editora: Ponto de leitura

Sinopse da editora:

Solidão, dificuldade de se comunicar, de se locomover e traumas de infância. Estes são os temas fundamentais de JOGO PERIGOSO. Jessie e Gerald estão tendo problemas no relacionamento. Na tentativa de dar nova vida a seus casamento, viajam para uma região isolada do Maine. Mas um jogo de sexo acaba se transformando em prelúdio para uma noite de terror.

Durante o jogo, Jessie é acorrentada à cama, e, subitamente, Gerald morre diante de seus olhos. Está presa e logo percebe que não há chance de alguém ouvir seus gritos. É nesse momento que, impotente e acompanhada apenas do cadáver do marido, vê todos os seus maiores medos ressurgirem para torturá-la.

JOGO PERIGOSO, de Stephen King, revela o estilo eletrizante que consagrou este mestre do terror moderno e faz o leitor mergulhar numa trama fascinante e diabólica.

Resenha:


Eu nem preciso de motivo para escolher livros de Stephen King, afinal é um dos meus autores preferidos. Já li vários livros, reli e vou reler, e também assisti filmes baseados em seus livros. Histórias de mistérios, fantasias e até fatos que podem ser reais são narrados – e bem narrados – por ele.

Na história de “Jogo Perigoso” ele fala de fatos reais, algo que pode acontecer a qualquer pessoa, não que ele tenha se baseado em um acontecimento/notícia que apareceu na imprensa.

É um triller psicológico, uma história que leva a personagem principal Jessie Mahout Burlingame ao limite e nós seguimos junto a ela em cada linha que Stephen King escreve. Em uma passagem que Jessie sente muita sede e tem um copo d’água bem próximo a ela, com pedras de gelo tilintando e fazendo o copo suar, mas ela não consegue alcançar o copo e fica imaginando como fazer pra poder beber aquela água; o desespero, a ânsia da personagem em querer pegar o copo é tanta que acredito que eu nunca antes bebi tanta água lendo um livro e num curto espaço de tempo. Sério! As palavras de Stephen nos fazem querer tanto aquela água quanto Jessie.

Jessie e seu marido Gerald estão tendo problemas em seu casamento. Nada mais é como antes, nem no sexo Jessie sente o mesmo prazer. Os jogos sexuais que eram estimulantes para o casal já não tem mais graça para Jessie, mas ela não quer deixar seu casamento morrer. Assim, em mais uma tentativa de salvar o casamento eles viajam para sua casa no lago, em uma região isolada no Maine.
Durante um jogo sexual, Jessie é algemada à cama e em determinado momento Gerald tem um ataque cardíaco e morre.
Jessie está algemada, longe de tudo e de todos, seus gritos não são ouvidos. Acompanhada somente com o cadáver de seu marido ela relembra seu passado, seus fantasmas ressurgem e fatos que acontecem podem fazer parte de seus devaneios ou ser uma realidade. Vozes ecoam em sua cabeça. Vozes conhecidas e vozes desconhecidas.
Como Jessie vai se livrar das algemas e de suas lembranças terríveis?

Palavra por palavra, linha por linha vamos acompanhando Jessie nesse dilema.
King nos mostra todos os lados da cena, nos faz “entrar” na casa do lago e ficarmos algemadas com Jessie sentindo todo o seu desespero.

Não existem muitos personagens, mas os poucos que aparecem, inclusive personagens não humanos, são bem descritos e sabemos o que eles pensam e sentem, se assim interessa a Stephen King. Quando não “entramos” na mente do personagem é porque o autor não quer e isso muitas vezes faz com que a aflição seja maior.

Para quem gosta de histórias de suspense vale muito a pena fazer essa viagem a casa do lago junto com Jessie. E não se esqueça de separar logo uma garrafa de água e deixar bem próximo a você.


Quotes:

“A maioria das pessoas associa o ato de contar até dez com o esforço de manter a calma, dissera Nora, mas o que essa contagem realmente faz é nos dar uma chance de reajustar os nossos marcadores emocionais... e qualquer um que não precise de um reajuste, no mínimo uma vez por dia, provavelmente tem problemas bem mais sérios do que os seus ou os meus.” (Pág. 51)

“Nossa, às vezes não consigo acreditar na vastidão da burrice das pessoas. Devia haver uma lei obrigando as pessoas a tirarem uma carteira, ou pelo menos uma licença de aprendizagem, antes de poderem falar. Até passarem no Teste da Conversa, teriam de ficar mudas. Isso resolveria um bocado de problemas.” (Pág. 139)

“Você realmente a viu, Jessie. Era a Morte, e você realmente a viu, como acontece frequentemente com as pessoas que morrem em solidão. Claro que a vêem: está estampado em seus rostos contorcidos e nos olhos esbugalhados.” (Pág. 306)


“Não quero olhar!, sua mente berrava. Não quero olhar, não quero ver! Mas sentia-se impotente para resistir. Era como se mãos fortes invisíveis virassem sua cabeça enquanto o vento soprava, a porta dos fundos batucava, a veneziana batia e o cachorro, mais uma vez, lançava um uivo solitário de congelar os ossos para o céu escuro de outubro.” (Pág. 368)


Sobre o autor:

Stephen King nasceu na cidade de Portland, no Maine, no dia 21 de setembro de 1947. Hoje considerado um dos mais notórios escritores de contos de horror e ficção de sua geração, é um dos autores de maior sucesso em todo o mundo, com livros publicados e admirados em mais de quarenta países.
Em 2003, recebeu uma medalha da National Book Foundation por sua contribuição à literatura americana.
Inúmeras de suas obras receberam adaptação para o cinema, tais como Conta comigo, Á espera de um milagre, Um sonho de liberdade e O iluminado.
O autor vive em Bangor, no estado do Maine, com sua esposa, a romancista Tabitha King.

Outras obras publicadas no Brasil:

1974 - Carrie, a Estranha
1975 - Salem
1977 - O Iluminado
1978 - A Dança da Morte
1979 - A Zona Morta
1980 - A Incendiária
1981 - Cão Raivoso
1983 - Christine
1983 - Cemitério Maldito
1983 - A Hora do Lobisomem
1984 - A Maldição
1984 - O Talismã
1986 - IT
1987 - Os Olhos do Dragão
1987 - Angústia
1987 - Os Estranhos
1989 - A Metade Negra
1990 - A Dança da Morte
1991 - Trocas Macabras
1992 - Jogo Perigoso
1992 - Eclipse Total
1994 - Insônia
1995 - Rose Madder
1996 - À Espera de um Milagre
1996 - Desespero
1998 - Saco de Ossos
1999 - A Tempestade do Século
2001 - O Apanhador de Sonhos

2001 - A Casa Negra
2002 - Buick 8
2005 - O Rapaz do Colorado
2006 - Celular
2006 - LOVE: A História de Lisey
2008 - Duma Key
2009 - Sob a Redoma

Livros de contos:

1978 - Sombras da noite
1982 - Quatro estações
1985 - Tripulação de esqueletos
1990 - Depois da meia-noite
1993 - Pesadelos e Paisagens Noturnas I e II
1997 - Six Stories
1999 - Corações na Atlântida
2002 - Tudo é eventual
2008 - Ao cair da noite