domingo, 21 de julho de 2013

Resenha - Antes que eu vá

"E se você só tivesse um dia para viver?
 O que você faria? 
Onde você iria para salvar sua própria vida?"


 Livro: Antes que eu vá                                                                              Autor: Lauren Oliver                                                                                Editora: Intrínseca


Sinopse da editora: "Samantha tem tudo: o namorado mais cobiçado do universo, três amigas fantásticas e todos os privilégios no colégio que frequenta - desde a melhor mesa do refeitório à vaga  mais bem-posicionada do estacionamento. Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, deveria ser apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita.  Em vez disso, acaba sendo o último. Mas ela ganha uma segunda chance. Sete "segundas chances", na verdade. E, ao reviver aquele dia vezes seguidas, ela desvenda o mistério que envolve sua morte - e, finalmente, descobre o valor de tudo o que está prestes a perder."


Não sei exatamente o que me levou a ler o livro de Lauren Oliver.  Talvez em algum momento tenha batido os olhos na sinopse em alguma livraria virtual e tenha ficado curiosa - uma adolescente morre mas tem a chance de reviver e repetir seu último dia de vida - O que será que aconteceu? Porque ela recebeu essa segunda chance, ou melhor, essas sete "segundas chances"?
A história, narrada pela própria Samantha, começa exatamente no momento do acidente que a mata. As primeiras palavras são seus pensamentos no minuto exato do acidente.

"Dizem que logo antes de morrer, sua vida passa diante dos seus olhos, mas não foi assim que aconteceu comigo."

Logo depois a história volta para o início do dia fatídico. Somos apresentados à Samantha e suas três amigas, típicas adolescentes com um quê de egoísmo, arrogância, exibicionismo. Para elas o que importa é ser popular na escola e nas festas. Com o passar da história e com a repetição do dia fatídico descobrimos que por baixo dessa "casca" de futilidade existe algo mais denso, segredos e mágoas que se escondem.
O acidente finalmente acontece e quando ela pensa que morreu, acorda na sua cama e se dá conta que está revivendo o mesmo dia. Sem compreender o que está acontecendo, ela revive seu dia tentando escapar do final trágico. Mas novamente a situação se repete, e a cada repetição do mesmo dias as atitudes e os sentimentos de Samantha se modificam  - confusa, com raiva, amedrontada, revoltada, triste - e as consequências de seus atos vão se modificando, até que ela percebe que nunca deu valor ao que realmente merecia ser valorizado. Que nem tudo é como ela pensava, que as pessoas não eram como ela enxergava.
Reconhecendo que pequenas decisões tem o poder de modificar os acontecimentos tanto na própria vida como nas de outras pessoas, ela agora precisa decidir: o que fazer? Como se redimir do seu comportamento egoísta? O que fazer para sobreviver e acordar num novo dia?
Quando ela descobre o porquê de suas segundas chances, quando sabe o que precisa fazer, o livro se encaminha para um final surpreendente. Talvez um pouco confuso, mas surpreendente.
A autora conduz a narrativa com habilidade, e apesar da repetição do mesmo dia não há monotonia em sua escrita. Aborda temas como o bullying, a virgindade, a falsa importância da perfeição e da popularidade com realismo, mas ao mesmo tempo com leveza.  Seus personagens são verossímeis. Em nenhum momento Lauren Oliver idealiza Samantha como heroína ou como vítima. É uma adolescente, nem totalmente boa, nem totalmente má.
É um livro interessante, que merece ser lido, que te faz, ao mesmo tempo em que lê a história, refletir sobre a vida, sobre o que é realmente importante. E para o leitor que já passou à muito da adolescência fica a preocupação como que anda nas cabecinhas de nossos jovens.

"Talvez para você haja um amanhã. Talvez para você haja mil amanhãs, ou três mil, ou dez mil, tanto tempo que você possa desperdiçá-lo. Mas para alguns de nós só existe o hoje. E a verdade é que você nunca sabe quando chegará sua vez."



Sobre a autora: 


Lauren Oliver, oriunda de uma família de escritores, nasceu em Nova York, em 1982. Atualmente dedica-se inteiramente a seus livros.  Antes que eu vá é seu romance de estreia. 

                                                                                                   
Livros publicados no Brasil:
- Antes que eu vá;
- Delírio;
- Pandemônio.

Por Aline Parreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário